sexta-feira, 29 de junho de 2012

Memorial

Há quem nunca tenha recebido uma Declaração de Amor e tenha sobrevivido. Mas se em vez desta for uma Declaração de Guerra?


 
Blitz Memorial (no adro da igreja de St Nicholas -  Liverpool)
aos mortos  da Grande Guerra, deTom Murphy

A memória é curta... não o esqueçamos! 

9 comentários:

  1. Prefiro, mil vezes, pensar nas declarações de amor e paz!!! Embora, mesmo por dentro, vivamos sempre em guerra!

    ResponderEliminar
  2. A memória das pessoas é mesmo muito curta! Uma pena.

    ResponderEliminar
  3. Sobreviver, seria menos provável.


    E a memória, por vezes tem falta de memória.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  4. Faço minhas as palavras da Lídia, e por isso lhe agradeço o post

    ResponderEliminar
  5. Parece que o "estado" natural do Homem é guerrear.
    A isso chamo insatisfaçao.
    Uma estátua que dispensa palavras...
    Abraço, Rui

    ResponderEliminar
  6. Muito curta, infelizmente... Para as coisas boas e para as más!

    ResponderEliminar
  7. Memorial...
    sem nenhum sentido quando se faz guerra por vaidade,desde os tempos biblícos.
    Quero mais declarações de amor ...

    ResponderEliminar