sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Brado!



Passamos pelas coisas sem as ver,
gastos, como animais envelhecidos:
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos,
como frutos de sombra sem sabor,
vamos caindo ao chão, apodrecidos


(Eugénio de Andrade )



Bom fim de semana! 

18 comentários:

  1. "Passamos pelas coisas sem as ver" ! Uma grande verdade! Quase sempre "olhamos" sem ver, tal como a maioria, não veria este fantástico "chão" que só um "olhar" muito treinado a "ver" o consegue !
    Uma foto fantástica, Rui !
    .

    ResponderEliminar
  2. E a falta que nos fazem, algumas dessas coisas que não vemos!

    Beijinhos Marianos, Rui! :)

    ResponderEliminar

  3. Em nossa vida devemos conviver com familiares, amigos, colegas de trabalho, etc, etc.
    Somos únicos e responsáveis pelos nossos próprios atos, não poderemos culpar a ninguém se deixeixarmos a vida passar por nós ou se passamos por ela...

    ResponderEliminar
  4. Belíssima junção de imagem e palavras... e é mesmo verdade... as vezes, não damos a devida atenção ao que passa por nós... e só prestamos atenção, quando efectivamente sentimos a falta... este egocentrismo é tão próprio da condição humana... vivermos só para o nosso mundo e não ligar ao que está à volta...
    Bom fim de semana.
    abraço
    Ana

    ResponderEliminar
  5. Mas há sempre alguém que olha e vê!
    Que bela foto!

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Eugénio de Andrade sempre lúcido e atento.

    beijinho e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  7. Temos poetas extraordinários... (E há quem saiba apreciá-los e citá-los muito a propósito:)

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  8. Espetacular!
    _uma chuvinha, folhas caem e eis aí um click perfeito_ surge um castelo ...
    Isso é que é um olhar apurado!
    Eugênio de Andrade não sabia da existência do Rui Pascoal...
    eu cá 'estremeci' :))
    abraços

    ResponderEliminar
  9. É tão exageradamente verdadeiro este poema. Nem todos somos assim, mas muitos somos um pouco assim. Eu comecei realmente a olhar para os outros com olhos de ver, relativamente tarde. Precisamente quando me senti um pouco esse "fruto de sombra sem sabor".
    A foto é de artista! De alguém que olha e vê.
    Bom fim de semana, Rui!
    xx

    ResponderEliminar
  10. Apenas deixamos uma sombra (trans)lúcida sob as penas ruivas e doiradas dos que nos tocam...

    ResponderEliminar
  11. Hola Rui, siempre encantada con tu página. Feliz domingo

    Un abrazo

    ResponderEliminar
  12. Refletivas e sábias palavras!
    A foto é encantadora!
    Abraço

    ResponderEliminar
  13. Há sempre alguém que vê com olhos de ver.

    Beijinho e uma boa semana

    ResponderEliminar
  14. Um poema bem forte e bem ilustrado pela imagem.
    Vim espreitar e para mim aqui em baixo aparece o "prove que não é um robô"...vou experimentar se dá para comentar sem copiar o número...

    ResponderEliminar