segunda-feira, 3 de maio de 2010

Protegido mas receoso...


Uma mão parece prendê-lo e a outra, da bracelete que pretende dizer muito, começa já a soltá-lo. Meio encoberto e indiferente a tudo isso, o relógio sabe que o tempo, esse, não tem contemplações.

Embora protegido o gatito espreita, algo receoso, a sua sorte.

2 comentários:

  1. E tem a sorte de ter nascido em berço de ouro! Nem todos se podem gabar disso. Tão fôfo!

    ResponderEliminar